Coritiba protesta contra operação de financiamento da Arena: Ilegal

O Coritiba, pelo site oficial, protesta contra a operação de financiamento para conclusão da Arena da Baixada – estádio do Atlético-PR e um dos 12 palcos da Copa do Mundo de 2014. O Verdão considera a engenharia financeira “ilegal e imoral”.

A obra vai custar R$184 milhões. O BNDES (Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social) deve emprestar para o clube R$ 131 milhões, o que representa dois terços do valor total. Para recebê-los, o Rubro-Negro dá como garantia o CT do Caju e títulos de potencial construtivo.

O valor dos potencias construtivos, porém, depende de votação na Câmara Municipal. Na carta, assinada como diretoria, o Coritiba afirma que a operação “fere os preceitos básicos de conduta das relações entre o público e o privado”. Os remetentes são o governador do estado do Paraná, Beto Richa; prefeito de Curitiba, Luciano Ducci; o próximo prefeito da cidade, Gustavo Fruet; o presidente da Câmara de Vereadores, João Luiz Cordeiro; e o presidente do Tribunal de Contas do Paraná, Fernando Augusto Mello Guimarães.

Procurada, a assessoria do Atlético-PR não atende as ligações.

Confira o texto

Senhor Governador,

Vimos, por intermédio desta, manifestar o nosso protesto pela falta de transparência, ilegalidade e imoralidade da engenharia financeira da operação que pretende prover de recursos públicos, na forma de financiamento, a obra do estádio do Clube Atlético Paranaense, por intermédio da CAP S/A.





Entendemos que a forma que está sendo realizada tal operação fere os preceitos básicos de conduta das relações entre o público e o privado, revelando, assim, toda a sua ilegitimidade de princípios, em prejuízo às administrações estadual e municipal e, por consequência, a toda população paranaense.

Nossos mais elevados votos de estima e consideração.

Atenciosamente,
Diretoria
Coritiba Foot Ball Club.

Fonte: G1

Coritiba protesta contra operação de financiamento da Arena: Ilegal
4.8 (95.95%) 79 votos




Deixe seu comentário